Projetos ambientais e a pandemia: entenda o impacto ao meio ambiente

projetos ambientais
4 minutos para ler

A pandemia do novo coronavírus trouxe à tona inúmeras reflexões, sendo uma delas sobre a forma como nos relacionamos com a natureza e dependemos dela. Desde o início da quarentena, em março de 2020, foram observados acontecimentos positivos e negativos na questão ecológica: se por um lado a poluição urbana diminuiu, por outro, ocorreu atraso em alguns projetos ambientais, como veremos ao longo deste texto.

Os principais retrocessos ocorridos nesse período foram fruto do descaso das autoridades, que se valeram da “cortina de fumaça” provocada pela crise na saúde para afrouxar políticas de licenciamento ambiental e fiscalização, tudo como parte de um processo que já vinha ocorrendo há tempos.

Diante das evidências, torna-se cada vez mais necessário às empresas investir em sustentabilidade, para que os efeitos causados nos ecossistemas pelas atividades produtivas não reflitam em novas crises de saúde pública no futuro. Se você se interessa pelo assunto e quer saber mais sobre que atitudes pode tomar para diminuir o seu impacto no planeta, sem deixar de lado a produtividade e a rentabilidade do seu negócio, siga a leitura até o final!

Atraso nos projetos ambientais

No início de fevereiro de 2020, o governo federal decretou o estado de Emergência em Saúde Pública e começou a delimitar as regras de isolamento social. Entre as medidas, porém, esteve a retirada dos serviços de saneamento, distribuição de água e captação de lixo do rol de atividades essenciais, ficando estes a critério dos estados e municípios. Além disso, a Agência Nacional de Mineração (ANM) também considerou conceder licenças para a atuação de mineradoras sem a necessidade de licenciamento ambiental.

Outros fatores ambientais que mudaram na pandemia

Apesar da atitude das entidades governamentais, a pausa nas atividades produtivas, como fabricações, comércio e transporte, gerou alguns sinais pontuais de recuperação da natureza, como o aumento da qualidade do ar, clareamento da água de rios e aparecimento de animais selvagens passeando nas ruas. Com a retomada das atividades e expectativa de recuperação da economia, porém, essas melhorias tendem a desaparecer completamente.

Outros fatores de impacto negativo que tiveram influência direta da pandemia foram o aumento no lixo hospitalar e o avanço do desmatamento ilegal de terras indígenas por grileiros, garimpeiros e madeireiros irregulares. Lembrando que o desmatamento também favorece a disseminação de doenças na população.

Impactos na população

A falta de tratamento de água e esgoto, o acúmulo de resíduos nas ruas e o desmatamento afetam diretamente a saúde humana, principalmente nos bairros mais vulneráveis econômica e socialmente. A degradação da natureza e a falta de políticas de sustentabilidade pelas iniciativas públicas e privadas causam poluição e disseminação de doenças infecciosas e pragas, com redução brutal na qualidade de vida das pessoas.

Sustentabilidade e saúde pública andam juntas, e a pandemia está aí para demonstrar isso. Mesmo assim, ao menos no Brasil, muitos projetos ambientais foram atrasados e houve aumento da degradação em alguns aspectos, como na produção de lixo e no desmatamento. Mais do que nunca, é necessário somar esforços às iniciativas que já estão sendo tomadas no sentido de minimizar o máximo possível o impacto das atividades humanas no nosso planeta.

Se você é agricultor, uma das formas de fazer isso é investir em fertilizantes biodegradáveis de alta performance e outras soluções ambientais proporcionadas por empresas referência como a SUPERBAC. Se você tem dúvidas de como começar, entre em contato com a gente!

Você também pode gostar

Deixe um comentário