Como fazer a remediação de áreas contaminadas?

remediação de áreas contaminadas
7 minutos para ler

Um estudo realizado pelo IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) mapeou 6.291 áreas contaminadas em todo o Brasil, 85% delas, localizadas no estado de São Paulo, em sua maior parte geradas por vazamentos em postos de combustíveis. A solução para tais casos são as práticas de remediação de áreas contaminadas.

Um solo contaminado é aquele em que se encontram substâncias que fornecem risco ao meio ambiente e à saúde das pessoas, em concentrações acima do que é considerado normal. Mas qual a importância desse tipo de gerenciamento e que ações devem ser tomadas para tratar as áreas contaminadas? É sobre isso que este artigo vai tratar. Confira!

Entenda a importância da remediação de áreas contaminadas

Para entender melhor os graves riscos que a contaminação dos solos pode representar para o ecossistema e para a saúde das pessoas, considere uma situação infelizmente muito comum.

No interior, há muitas casas e propriedades rurais que utilizam poços e cacimbas a fim de coletar água para a agricultura, pecuária e consumo próprio. Nas grandes cidades, a construção de poços artesianos também tem se tornado muito frequente, em virtude de problemas de abastecimento.

Muitas vezes, postos de combustíveis são instalados próximos às residências e propriedades rurais. O tanque de metal para o armazenamento de combustível é enterrado e, antigamente, suas condições não eram verificadas com frequência, de modo que furos causados pela ferrugem permitem o escoamento do líquido contaminante (a gasolina), que atinge o solo e as reservas de água.

A água contaminada, agora nas cacimbas e poços, é consumida pelas pessoas. A substância oferece um alto risco à saúde, podendo até causar câncer. Citamos aqui um posto de gasolina apenas para ilustrar essa dinâmica de contaminação. Mas a poluição pode ocorrer também pela atividade industrial.

Da mesma maneira, a contaminação do solo agrícola pode comprometer o rendimento da safra, além de gerar danos à saúde daqueles que vão se alimentar dos alimentos produzidos na lavoura contaminada.

Para garantir a saúde e preservação do ecossistema, é imprescindível e urgente adotar práticas de prevenção, identificação e remediação de áreas contaminadas.

Saiba como funcionam as principais práticas de remediação

Os processos relacionados à remediação de áreas contaminadas são complexos. Eles têm por objetivo reunir especialistas para que, em conjunto, criem, implementem e controlem uma série de métodos de engenharia e biotecnologia para reduzir a concentração das substâncias poluentes tanto no solo quanto nas águas do subsolo.

As técnicas de remediação podem ser divididas em dois grupos: in situ ou ex situ.

Técnicas in situ

A remediação in situ inclui técnicas aplicadas no próprio local de contaminação. É a opção que apresenta menores custos e reduz o risco de contaminação secundária. Aqui são utilizados diferentes métodos.

Sistema de bombeamento

O bombeamento e tratamento (pump and treat) consiste no bombeamento da água subsuperficial contaminada com à superfície para posterior tratamento externo de remoção de contaminantes.

Sistema de Extração Multifásica

Um sistema de ventilação a vácuo é instalado em poços de extração distribuídos na área contaminada para remover as fases vapor, líquida e dissolvida que estão no solo e na água subterrânea. Os resíduos são retirados e possivelmente reintroduzidos no meio ambiente após o tratamento.

A extração a vácuo também promove o aumento de oxigênio no local, contribuindo para atividades bacterianas aeróbias, o que auxilia na degradação biológica da substância contaminante.

Processos Oxidativos Avançados

Oxidação química (ISCO – In Situ Chemical Oxidation) engloba uma série de processos que geram radicais livres com um elevado poder oxidante. Essa dinâmica promove a degradação de substâncias contaminantes.

Barreiras Reativas Permeáveis

São alocados blocos em partes do solo para reduzir a transferência das substâncias contaminantes de um local para o outro. Isso garante um controle maior sobre o mapa da poluição.

Barreiras Hidráulicas

Uma linha de poços de bombeamento é construída de modo a impedir que a contaminação das águas siga seu fluxo subterrâneo natural, evitando o avanço do problema.

Biorremediação

É o processo que degrada os compostos orgânicos  por meio da ação de microrganismos através da bioestimulação e/ou bioaumentação. Bioestimulação: consiste na estimulação da microbiota presente no meio. Bioaumentação: consiste na inserção de microrganismos.

Técnicas ex situ

A remediação ex situ é feita fora do local de contaminação, sendo necessário transportar o material contaminado até onde será feito o tratamento. Os principais métodos adotados estão relacionados à escavação, à remoção e ao tratamento, destinando ao fim mais adequado.

Aterro

Trata-se do local para onde será destinado o produto da decomposição final dos resíduos sólidos gerados pelo homem em suas diversas atividades.

Coprocessamento

Os resíduos tratados são levados para fábricas de cimento. O fogo que aquece os fornos é alimentado com resíduos sólidos, de modo que podem parcialmente substituir combustíveis. A parte orgânica é destruída na queima. A parte inorgânica é inertizada e passa a fazer parte da matéria-prima do cimento.

A inertização utiliza aditivos para modificar as características dos resíduos e transformá-los em material seco, sem cheiro e com pouquíssima concentração de contaminantes, para seu posterior reaproveitamento.

Unidade de dessorção térmica

Hidrocarbonetos não reciclados e energia térmica são utilizados para separar fisicamente os compostos voláteis do solo contaminado.

Biopilhas

Técnica de estímulo à atividade microbiana aeróbia para promover a redução de concentrações de hidrocarbonetos de petróleo no solo por meio da biodegradação.

Conheça as soluções da SUPERBAC!

Como vimos, a biorremediação é uma das principais técnicas de remediação de áreas contaminadas. E a SUPERBAC fornece produtos biológicos para reduzir a concentração de poluentes no solo e nas águas subterrâneas. A função dessas tecnologias é limpar o solo por meio da promoção da ação microbiana.

No processo, bactérias específicas e naturais do solo são utilizadas para acelerar o processo de degradação. Trata-se de uma tecnologia limpa quando comparada a outros processos de remediação.

Essa técnica funciona sob o aval dos órgãos ambientais e conta com formas de aplicação muito simples, seguras e fáceis. Por isso, são técnica e economicamente muito vantajosas.

A SUPERBAC é uma empresa pioneira na aplicação da biotecnologia para apresentar soluções eficientes em processos de remediação de áreas contaminadas. Apesar dos graves riscos que a contaminação pode gerar ao ecossistema e à saúde humana, a recuperação desses solos é possível com práticas sustentáveis e inteligentes, como o aproveitamento da ação microbiana para a promoção da degradação dos compostos.

Quer saber mais sobre nossas soluções de remediação? Entre em contato com nossos especialistas e tire suas dúvidas!

Você também pode gostar

Deixe um comentário