Entenda o que é o índice ISE e quais são seus principais fatores

indice ise
7 minutos para ler

Em dezembro de 2020, a B3 — a bolsa de valores brasileira — fez a atualização do índice ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial). O objetivo do ajuste é atender às novas demandas do mercado. A ideia é adequar o índice para dar abertura a empresas que respondam bem às necessidades sustentáveis, associadas a uma boa governança corporativa.

Durante a pandemia da Covid-19, o mercado financeiro viu os investimentos ESG (Environmental, Social and Corporate Governance) apresentarem uma boa performance. Isso reforça a necessidade de termos um índice brasileiro para estimular as empresas a adotarem ações sustentáveis e atraírem novos investidores.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura deste post. Vamos lá?

O que significa o índice ISE?

Para esclarecer quaisquer dúvidas em relação ao índice ISE, saiba que ele é uma ação pioneira na América Latina que tem por finalidade identificar quais são as empresas que estão mais alinhadas com boas práticas de sustentabilidade. Por meio de um cálculo, a B3 disponibiliza uma listagem com as empresas que apresentam melhor performance de atendimento aos critérios de sustentabilidade.

Dessa forma, o índice ISE é uma carteira de empresas composta por 46 ações de 39 companhias. O ISE foi criado em 2005 e, desde então, acumula uma rentabilidade de destaque: 294,73%. Essa boa performance comprova que o mercado, o comportamento dos consumidores e os investidores valorizam empresas sustentáveis.

Por que esse índice é importante?

Para entender melhor a importância do índice ISE, primeiramente vamos esclarecer o conceito de sustentabilidade. Pelo senso comum, a tendência é de acharmos que a sustentabilidade diz respeito somente às ações com foco no meio ambiente. Contudo, o termo vai além disso.

Basicamente, a sustentabilidade tem a ver com todos os esforços feitos para reduzir os impactos negativos do desenvolvimento de negócios, como a desigualdade social e o aumento da produção de poluição. A sustentabilidade diz respeito ao ponto de equilíbrio, no qual a governança corporativa toma decisões inteligentes. Elas têm como objetivo a expansão do negócio enquanto a empresa combate possíveis impactos negativos à comunidade onde está instalada.

Hoje, a ONU (Organização das Nações Unidas) tem diversos pactos que atuam em frentes sustentáveis, como a redução de gases poluentes causadores do efeito estufa e o combate às desigualdades sociais. Muitos países são signatários, ou seja, firmaram o compromisso de atenderem às premissas desses pactos. O Brasil é participante assíduo.

Nesse sentido, os países buscam implementar dispositivos que estimulem as empresas a adotarem ações sustentáveis. No entanto, mesmo sem esse incentivo governamental, existe a necessidade vista pelo mercado: os clientes estão cada vez mais conscientes e exigentes, e escolhem onde gastar o seu dinheiro.

Esse mesmo movimento é feito pelos investidores. Por meio da alta liquidez, e também rentabilidade, das ações do índice ISE, a tendência é que outras empresas no mercado busquem melhorar a qualidade de suas decisões com foco no sustentável. Dessa forma, elas atraem novos investidores e, quem sabe, integrem a carteira do índice na próxima atualização feita pela B3.

Como é feito o cálculo do ISE?

O cálculo do índice ISE é feito em tempo real e pode ser acompanhando na B3. São considerado os preços do lote padrão. O valor das ações é ponderado por meio do free float, que são os ativos em circulação, ou seja, sendo negociados no mercado financeiro. É necessário destacar que existe um limite de participação, que é definido pela sua participação conforme a liquidez

Quais os critérios para participar do ISE?

Para que as empresas sejam elegíveis para compor o índice ISE, elas devem atender a alguns critérios. O processo seletivo para compor o índice é o resultado do desempenho a um questionário-base desenvolvido pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) em parceria com a B3.

É importante destacar que os critérios podem sofrer alterações ano a ano, conforme as necessidades do mercado. As questões avaliam sete dimensões do negócio, sendo elas:

  • geral — é avaliado o compromisso da marca com boas práticas sustentáveis;
  • natureza do produto — impactos pessoais dos produtos aos consumidores, com foco na precaução e na disponibilização de informações de interesse deles, como a produção de alimentos orgânicos;
  • governança corporativa — estrutura e gestão do conselho administrativo, como a disponibilização do relatório de sustentabilidade;
  • econômico-financeira — gestão e desempenho;
  • social — políticas corporativas e ações com foco na responsabilidade social, como uma política de diversidade e inclusão;
  • ambiental — políticas corporativas e ações com foco na responsabilidade ambiental, como a bioaumentação para tratamentos de poluição;
  • mudanças climáticas — resposta da gestão diante das necessidades causadas por esse tema. Por exemplo, uma política de uso de etanol na frota em vez da gasolina.

Dentre as ações de sustentabilidade que uma empresa pode adotar, podemos citar a forma como ela trata os resíduos que são produzidos nas suas dependências. Ter atenção ao tratamento de esgoto, investir no uso de compostagem para aproveitamento do lixo orgânico e fazer a coleta seletiva.

É possível negociar o ISE na B3?

O índice ISE não é um ativo negociado na B3, apenas uma carteira teórica para consulta dos investidores e como ferramenta essencial para avaliar as tendências do mercado. No entanto, existe um ativo que é oriundo dele: o ETF ISUS11, que tem a sua gestão feita pela Itaú Asset Management.

Os ETFs, sigla para Exchange Traded Funds ou Fundos de Índices, são uma carteira de ativos onde a rentabilidade está atrelada à performance de um índice. É uma opção interessante para quem busca ampliar os investimentos, iniciando a atuação na renda variável.

Existem outros ativos de sustentabilidade?

Além do ETF ISUS11, existem outros ativos com foco em sustentabilidade. Os investimentos ESG, que já havíamos citado no início deste post, são um exemplo de ativo com foco em sustentabilidade. No Brasil, essa categoria ganha força e, recentemente, a XP Investimentos lançou uma categoria ESG. Além dela, a BlackRock, uma gestora de US$ 7 tri publicou uma carta, em 2020, sobre investimentos em sustentabilidade.

É importante destacar que, também com foco em sustentabilidade, você vai encontrar outro índice na B3, o ICO2 ou índice Carbono Eficiente. Ele foi criado em 2010 e está diretamente relacionado às mudanças climáticas causadas pela emissão de gás carbônico e os clorofluorcarbonetos. Inclusive, o próprio Governo brasileiro também tem uma ação nesse segmento: créditos de carbono do programa Renovabio.

Com a chegada das novas gerações no mercado, tanto como consumidores ou investidores, é importante que os negócios estejam atentos ao índice ISE e aos movimentos sustentáveis. Afinal, eles são exigentes, com fácil acesso a informações em decorrência da globalização e compromissados com seus valores pessoais.

Para que a sua empresa se mantenha competitiva, é fundamental conhecer quais são as melhores boas práticas para a sustentabilidade do seu negócio, não é verdade? Assine a nossa newsletter e fique por dentro das novidades do segmento!

Você também pode gostar

Deixe um comentário